Últimas Postagens

30 de agosto de 2016

Um olhar sobre: Muito mais que o acaso, Athos Briones.



Como havia já dito para o Athos na Bienal, “Muito mais que o acaso” iria ganhar uma ‘resenha’ aqui no Blog, bom quem me conhece sabe que eu não gosto de fazer resenhas, não me sinto à vontade de criticar o trabalho de alguém, não cabe a mim essa função, não sou uma especialista, então prefiro comentar sobre o que o livro fala, acredito que todo o livro deva passar uma mensagem ao leitor, e bom o Athos me passou muito.

“Muito mais que o acaso”, conta a história do Victor, um menino da quebrada que por ser um craque no futebol ganha uma bolsa de estudos para estudar em uma das melhores escolas de São Paulo, lá o Victor conhece a Sophia, e bom o resto você vai descobrir lendo.

Quando eu soube que o Athos, filho da minha escritora favorita, iria lançar um livro a primeira coisa que pensei foi “Que responsa”, afinal nós sabemos que ele não fugiria, da sempre presente, comparação com a mãe dele, mas o Athos nos mostra que independente de quem ele seja filho vai brilhar por si mesmo.

O livro me chamou a atenção já no prologo, narrado todo em primeira pessoa e pelo Victor nós podemos ter uma noção do que o moleque pensa e o que ele faz quando coisas ruins acontecem, quero ressaltar que a mensagem de ‘desigualdade’ e ‘preconceito’ que o Athos quis passar foi excelente, e acima de tudo ele descontruiu diversos estereótipos criados pela sociedade e mostra que dinheiro e status social não quer dizer nada quando você tem caráter e coração.

O livro tem poucas páginas, mas nos deixa a mensagem clara do garoto da quebrada que foi parar no colégio de rico, que chegou já achando que todo o menino rico era “mauricinho” e que todos o tratariam diferente só porque ele era bolsista, porém esse pré-conceito é quebrado quando o Victor conhece o Matheus, um menino rico e encrenqueiro, mas com o coração maior que o mundo.

O Athos em poucas páginas abriu as portas de um outro mundo para nós, com uma escrita leve e palavras usadas no cotidiano dos jovens mergulhamos no mundo maluco, e muitas vezes, conturbado dos adolescentes, podemos sentir o que eles sentem e pensar como pensam.

Victor é um cara gente boa, que mora com a mãe e a irmã, mãe solteira que trabalha como empregada, pai morto quando ainda era pequeno, já o pai da irmã deu no pé quando soube que a dona Silvia estava grávida, história comum de uma família comum. Victor trabalha para ajudar a mãe, assumiu a responsabilidade com a irmã. A relação dos três é linda, e por diversas vezes, senti que é muito parecida com a relação que o Athos tem com a mãe, Bianca e o irmão, o Arthur, pelo menos foi o que pareceu. Para mim que acompanho a família Briones a um tempo pelas redes sociais sei o quanto são unidos e o quanto se apoiam e a Bruna é muito esperta como o Arthur.

Acredito que muito do livro e da personalidade do Victor tem a ver com a do Athos, e isso acontece ainda mais quando você escreve seu primeiro livro. Athos é poético e gosta de dissertar sobre a vida, cada dialogo e paragrafo uma mensagem diferente, e devo confessar eu GRITEI quando na história apareceu referência a Flesh, Arrow e Batman, sobre a parte do Batman quero muito saber se o Athos assiste Supernatural, me lembrou o Dean (hahahahaha).

Senti falta de um pouco mais de cenas entre Sophia e Victor, eu me apaixonei com o casal e chorei com eles, a forma como eles se envolvem me faz lembrar do meu ensino médio e como sonhava em viver um amor desses.

Athos foi brilhante em sua escolha de tema, abordar racismo, homofobia e desconstruir padrões da sociedade é de uma coragem extrema quando estamos passando por tantas lutas por igualdade social, racial e de gênero. Athos tem um lindo caminho a sua frente. Eu amei o livro e deixo a escolha dos meus leitores ler. Athos é jovem, e como todo jovem tem sede de lutar por alguma coisa e fico feliz que ele tenha escolhido a escrita, como diria um certo bruxo por aí “Palavras são nossa fonte inesgotável de magia” e acredito que podemos mudar o mundo através delas.

Não vou avaliar o livro em bom ou ruim, já falei que isso não cabe a mim, vou apenas dizer que Athos tem muito a falar com a sua história e se você quiser aprender é só lê-lo.

Parabéns Athos, eu adorei “Muito mais que o acaso”, adorei meu autografo e amei te conhecer, espero que você leve a sua mensagem a todos os lugares que quiseres.
Um beijo para você e meus leitores.


Mai Passos G.
Autora de Sofia, editora e redatora do Blog.

Nenhum comentário:

Postar um comentário